quinta-feira, 25 de março de 2010

Lendas do Alecrim -- erva da juventude eterna, do amor, amizade e alegria de viver!

Os gregos usavam coroas de alecrim em festas, como símbolo da imortalidade. Para os romanos, simbolizava o amor, e por isso era plantada próximo à soleira das portas das casas. Na Era Medieval, era considerado símbolo de fidelidade. E no Renascimento, surgiu na fórmula da famosa solução rejuvenescedora da ''Água da Rainha da Hungria''.
Existe também uma lenda que conta que quando Maria fugiu para o Egito, levando no colo o menino Jesus, as flores do caminho iam se abrindo à medida que a sagrada família passava por elas. O lilás teria erguido seus galhos orgulhosos e emplumados, o lírio teria aberto seu cálice, e o alecrim, sem pétalas nem beleza, haveria lamentando não poder agradar o menino. Cansada, Maria teria parado à beira do rio para lavar as roupinhas da criança que então dormia. Em seguida, ao olhar ao seu redor, procurando um lugar para estendê-las, imaginou que o lírio quebraria com o peso, e o lilás era alto demais. Teria colocado-as então sobre o alecrim, que suspirara de alegria, agradecendo de coração a nova oportunidade de sustentar ao sol as roupas durante toda a manhã. Maria teria então agradecido ao alecrim a gentileza, e detereminado que dalí por diante ostentaria flores azuis e teria galhos aromáticos, abençoando a plantinha que a partir de então possuiria aroma de santidade e emanaria alegria!
Conta-se ainda que a Bela Adormecida foi acordada pelo Príncipe com um ramo de alecrim.
Já a crendice popular diz ser o alecrim a erva da juventude eterna, do amor, amizade e alegria de viver. Tocar a pessoa amada com alecrim garante seu amor para sempre, já que seu aroma atrai namorados.

2 comentários:

  1. Esta lenda é de uma delicadeza incrível. Fiquei comovida quando a li. Obrigada a quem a postou.

    ResponderExcluir